Caracterização do lodo gerado em estação de tramento de esgoto ete chapecó/sc: Resultados preliminares

Anderson Rodrigo Miranda, Rosiléa Garcia França, Franciele Bruzzamarello, Paulo Fernando Rech Medeiros

Resumen


O lodo de esgoto pode ser uma fonte de nutrientes para diversas culturas; contudo, os teores de metais pesados e de patógenos em sua constituição podem limitar seu uso em solos agrícolas. O objetivo deste trabalho foi de caracterizar o lodo gerado na estação de tratamento de efluentes (ETE) do município de Chapecó‐SC, a fim de indicar um reuso apropriado para o mesmo, principalmente a reciclagem agrícola. Até o momento, foram realizadas quatro amostragens, sendo analisados os seguintes parâmetros: macronutrientes, fertilidade, metais pesados e agentes patogênicos. Os metais pesados analisados foram: Cr, Cu, Mn, Fe, Cd, Pb e Zn; sendo que os teores obtidos destes elementos encontram‐se bem abaixo dos valores encontrados na literatura, o que, a princípio, indica que não trarão alterações de importância quando da sua aplicação no solo. Os resultados preliminares deste estudo apontaram à necessidade de se realizar a calagem do lodo da estação, ou seja, adicionar cal para correção do pH e diminuição do número de patógenos, pois de acordo com as análises microbiológicas o lodo foi classificado como classe B, segundo resolução 375/06 do CONAMA.

Palavraschave: Lodo. Metais pesados. Reciclagem.



Palabras clave


Lodo; Metais pesados; Reciclagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2009.2.1.13100