Avaliação do processo de digestão anaeróbia da ete Arrudas - mg (Lodo ativado convencional)

Alessandra Valadares Álvares da Silva, Marcos von Sperling, José Maria de Oliveira Filho

Resumen


Nessa pesquisa foram avaliadas as características e o comportamento da unidade de digestão anaeróbia que trata o lodo da Estação de Tratamento de Esgotos do Arrudas (vazão de projeto de 2,25 m3/s). A ETE está localizada em Belo Horizonte e tem como processo de tratamento, lodos ativados em sua modalidade convencional, com digestão anaeróbia do lodo e posterior desidratação mecânica em centrífugas. A Estação passou por três fases operacionais distintas no que se refere ao adensamento e dessa maneira ocorreram alterações na etapa seguinte, a digestão anaeróbia: Fase 1: digestão de lodo primário adensado; Fase 2: digestão de lodo misto adensado; Fase 3: digestão de lodo secundário adensado e de primário. Dos resultados do trabalho pode‐se concluir que durante a primeira e segunda fase foram apresentados valores de 37% e 36%, respectivamente para a eficiência de remoção de sólidos voláteis. Na terceira fase a média de eficiência dos digestores anaeróbios quanto à remoção de STV foi superior (43%). A relação SV/ST manteve‐se, nas três fases, em torno de 0,60. Os valores de pH estiveram sempre dentro dos valores reportados pela literatura .O maior tempo de detenção hidráulica ocorreu na segunda fase (47 dias), na primeira fase foi de 35 dias e na terceira fase foi de 22 dias‐ valor próximo ao adotado no projeto.

PalavrasChave: Esgoto, tratamento do lodo, digestão anaeróbia.



Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2009.2.1.13101