TRATAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS EM REATOR ANAERÓBIO HÍBRIDO SEGUIDO DE REATOR COM ALGAS IMOBILIZADAS

Dayane de Andrade Lima, José Tavares de Sousa, Jéssyca de Freitas Lima, Tales Abreu Tavares de Sousa, Israel Nunes Henrique

Resumen


O objetivo desse trabalho foi avaliar a remoção de nutrientes e de indicadores de contaminação fecal em reator de algas imobilizadas no pós-tratamento de efluente anaeróbio. Nesse contexto foi instalado um Reator Anaeróbio Híbrido (RAH) alimentado com esgoto sanitário e o seu efluente foi pós- tratado em Reator com Algas Imobilizadas (RAI). O RAI operou com características de biofilme com leito móvel usando meio suporte de espuma de poliuretano cortada em cubos. O experimento foi instalado em uma casa de vegetação e operado em três fases distintas. A primeira caracterizada pela baixa insolação diária, temperatura variando 22.4 a 30.2 ºC. Na segunda fase foi adicionado sulfato de amônio que estimulou a nitrificação, na terceira fase o reator foi exposto a maior insolação com temperatura ambiente variando 23.4-33.3 ºC. O RAH proporcionou uma expressiva remoção de matéria orgânica e sólidos em suspensão, cuja eficiência foi de 77 e 88%, respectivamente. Com relação ao RAI a eficiência na remoção de N-NTK para as três fases foram respectivamente de 96, 79 e 62%, nas três fases. Na primeira e segunda fase ocorreu nitrificação. A remoção de fósforo mostrou-se pouco significativos na primeira e segunda fase, contudo na terceira fase, a eficiência foi em torno 87% de remoção para ortofosfato e 99.98% em relação a remoção de E. coli. O poliuretano mostrou-se um considerável meio suporte para imobilização de algas, sendo possível remover de forma eficiente os nutrientes e organismos indicadores de contaminação fecal.

Palavras chaves: indicares de contaminação fecal, nutrientes, reator de algas imobilizadas.

 


Palabras clave


indicares de contaminação fecal, nutrientes, reator de algas imobilizadas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2015.8.3.51643