NOVAS ROTINAS OPERACIONAIS COMO FORMA DE MELHORIA DE PROCESSO E REDUÇÃO DE CUSTOS EM UM SISTEMA DE LODOS ATIVADOS: ESTUDO DE CASO.

Rodrigo Augusto Franco de Oliveira Zawadzki, Wellington Ignácio Jaworski, Juliene Paiva Flores

Resumen


O controle operacional de sistemas de lodos ativados envolve o acompanhamento de uma série de parâmetros analíticos. Tais parâmetros permitem aos gestores e operadores da ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) a adoção de ações corretivas ou preventivas que garantam a adequada eficiência do tratamento. Desta forma, o presente trabalho descreve a implantação de novas rotinas de controle operacional em um sistema de lodos ativados. Para isto, foi realizado inicialmente o treinamento de 17 técnicos da ETE quanto aos procedimentos de controle de sólidos e microscopia de lodo, e, em seguida, implantados novos parâmetros de controle operacional. Após a implementação das novas rotinas operacionais obteve-se estratégias capazes de prevenir os problemas de arraste de lodo, morte excessiva de biomassa e, por fim, reduzir em média 89 % a dosagem de gás cloro no combate ao bulking filamentoso.


Palabras clave


Aplicação de gás cloro, Bulking filamentoso, Controle de sólidos, Microscopia de lodo, Rotinas operacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2016.9.2.53892