QUANTIFICAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA EM RIOS DA AMAZÔNIA BRASILEIRA SOB A INFLUÊNCIA DE RESÍDUOS DA INDÚSTRIA DE CURTUME

Carlos Magno Marques Cardoso, Natércia Camille Vasconcelos Feitosa Marques Cardoso, Andressa Regina Vasques Mendonça, Marcelo Mendes Pedroza, Gláucia Eliza Gama Vieira, Jorge Diniz de Oliveira

Resumen


Os riachos Posse, Sem Nome e o rio Campo Alegre, próximos à indústria Tocantins no município de Governador Edison Lobão, estão sendo degradados devido os despejos de resíduos líquidos e sólidos industrial de origem orgânica, causando, na maioria das vezes, morte da ictiofauna. Diante dessas informações o presente estudo teve como objetivos quantificar a carga orgânica no sedimento da camada superficial coletados na parte central de cada rio e águas superficiais do rio e riachos acima citados, bem como avaliar a contribuição impactante desse nos corpos hídricos. As coletas das amostras foram realizadas nos períodos chuvoso e estiagem, em 6 pontos amostrais sendo 2 pontos no riacho Sem Nome, 2 no Posse, 1 no tanque de resíduos líquidos e sólidos e 1 no rio Campo Alegre. As amostras de água foram coletadas em garrafa PET, acidificadas e acondicionadas em caixas térmicas e as de sedimento foram coletadas na superfície do leito dos corpos hídricos e armazenados em sacos plásticos. Os resultados demonstraram que as concentrações de matéria orgânica indicam ineficiência do processo de remoção de matéria orgânica pelo curtume. As variações observadas para os parâmetros físico-químicos indicam a contribuição da influência antrópica no processo de degradação desses corpos d’águas.


Palabras clave


contaminação; corpos hídricos; curtume; sedimento; matéria orgânica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2018.11.2.58365