MONITORAMENTO E MODELAGEM DOS RECALQUES DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE DIFERENTES COMPOSIÇÕES EM UM LISÍMETRO DE LABORATÓRIO.

Eduardo Pavan Korf, Isadora Comparin, Valter Caetano Dos Santos, Pedro Domingos Marques Prietto

Resumen


Os resíduos sólidos depositados em aterros sanitários têm diversas origens e composições. Todos estes fatores aliados a variáveis ambientais influenciam a compressibilidade da massa de resíduos, já que a maior parcela dos recalques em aterros são resultantes da degradação biológica. O uso de células experimentais de pequenas dimensões (lisímetros) pode contribuir para uma melhor compreensão de tais fenômenos. Neste contexto, o trabalho objetivou a modelagem do comportamento de resíduos sólidos de duas diferentes composições, em um lisímetro de escala laboratorial, em relação aos conseguintes recalques. Duas amostras foram objeto de estudo: resíduos de composição 100 % orgânica (L1) e composição típica de resíduos sólidos urbanos (L2). Foram monitorados os recalques ao longo do tempo em um lisímetro de laboratório e os resultados foram calibrados à quatro modelos matemáticos de previsão de recalques ao longo do tempo, permitindo a obtenção de parâmetros de comportamento. Durante os 100 dias de monitoramento, os maiores recalques foram observados no experimento L1 (57 %), em comparação ao experimento L2 (24 %). Esse comportamento também foi visualizado pelos parâmetros a e a, indicando maior perda de massa e recalques e também pelos valores de Ca’, Cα1’ e Cα2’ que indicam que o recalque maior ocorre na fase de compressão secundária, a qual é característica de resíduos com alta compressibilidade, tais como os de composição predominantemente orgânica avaliados neste estudo.

 

 


Palabras clave


biodegradação de resíduos, compressão primária e secundária, modelo de recalque.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22201/iingen.0718378xe.2016.9.2.50714